"My bread", o método revolucionário de fazer pão não amassado, por Jim Lahey | "My bread", the revolutionary no-work, no-knead method, by Jim Lahey

terça-feira, abril 01, 2014



"The loaf is incredible, a fine-bakery quality, European style boule that is produced more easily than by any other technique I've used, and it will blow your mind" 
                                                                             Mark Bittman, The New York Times




Afinal nem é assim tão difícil fazer pão. Exige alguma prática, é certo, como já falámos aqui, e o sucesso depende de alguns factores, como os ingredientes, o tempo de fermentação, o "amassar" do pão, ou a cozedura. Jim Lahey mostra-nos neste livro que existe uma forma relativamente fácil de fazer pão sem necessidade de "amassar". 

O segredo para o pão de Jim Lahey é a fermentação lenta. Neste livro, com instruções passo-a-passo seguidas de fotos passo-a-passo, Jim mostra-nos que são apenas precisos 5 minutos de trabalho para preparar um pão: misturar água, farinha , fermento e sal, e deixar o tempo fazer a sua "magia" - não é necessário amassar. Espere 12 a 18 horas para que o pão cresça, desenvolvendo estrutura e sabor, e então, depois de mais uma breve fermentação, coza rapidamente o pão numa panela coberta de ferro fundido, ou doutro material como barro.

O processo não poderia ser mais simples e os resultados mais inspiradores. "My Bread" dedica um capítulo a receitas de Jim que são variações sobre o pão básico, incluindo pão de azeitona, pão de queijo pecorino, rolos de pancetta, baguette italiana clássica (stirato) e a baguette com tomate, azeitonas, ou alho (stecca). Apresenta-nos ainda outros pães mais criativos, como pão de Amendoim ou pão de Amendoim e Compota, outros que usam sumos em vez de água, e o seu pão Irlandês, preparado com Guiness Stout. Há um capítulo dedicado às sandwiches, com receitas para os ingredientes da sandwiche que complementam perfeitamente os seus pães únicos, como porco assado com citrinos, a berinjela marinada ou  Green Onion Bagna Cauda.

Se começar a fazer pão regularmente, vai certamente começar a ter restos de pão. Mas não precisa de os deitar fora, ainda são comestíveis. O livro tem um capítulo com receitas bem criativas que utilizam restos de pão, como a Sopa de pão, a Salada de pão (a Panzanella clássica) ou a Torta de chocolate.

Jim é o dono da Sullivan Street Bakery, inaugurada na cidade de Nova Iorque em 1994, depois de trabalhar e aprender com padeiros do nordeste e centro da Itália. Em 2009,  abriu uma pizzaria, Co., também em Nova Iorque, e por isso este livro não estaria completo sem receitas de pizza: Pizza Bianca (uma massa fina, leve e crocante com azeite e alecrim), Pizza Pomodoro (só tem de espalhar a massa num tabuleiro e adicionar o recheio que quiser), Focaccia, e muitos outros.

Se quiser um pão num espaço de tempo mais curto, pode utilizar uma receita que utiliza mais fermento e só precisa de cerca de 2 horas para a fermentação. O resultado é um pão rústico e de sabor intenso!




The secret to Jim Lahey's bread is slow-rise fermentation. As Jim shows in this book, with step-by-step instructions followed by step-by-step pictures, the amount of labor you put in amounts to 5 minutes: mix water, flour, yeast, and salt, and then let time work its magic - no kneading necessary. Wait 12 to 18 hours for the bread to rise, developing structure and flavor; then, after another short rise, briefly bake the bread in a covered cast-iron or another material like clay pot.

The process couldn't be more simple, or the results more inspiring. My Bread devotes chapters to Jim's variations on the basic loaf, including an olive loaf, pecorino cheese bread, pancetta rolls, the classic Italian baguette (stirato) and the stunning bread stick studded with tomatoes, olives, or garlic (stecca). He gets even more creative loaves like Peanut Bread or Peanut and Jelly  Bread, others that use juice instead of water, and his Irish Brown Bread, wich calls for Guiness stout. There is a chaper dedicated to the art of sandwiches, with recipes for sandwich ingredients that perfectly complement his unique breads, like Citrus Roast pork, marinated Eggplant or Green Onion Bagna Cauda. 

If you start bake bread all the time, you're going to have a lot of old bread around. But you don't have to throw the bread away, it is still food. The book has a chapter with inventive recipes that uses old bread, like Bread Soup, Bread Salad (the classic Panzanella) or Chocolate Torte.

Jim is the owner of  Sullivan Street Bakery , opened in New York city in 1994, after working  in northeastern and central Italy with bakers. In 2009 he opened his new pizza restaurant, Co., and so this book wouldn't be complete without pizza recipes: Pizza Bianca (light, crispy flatbread with olive oil and rosemary), Pizza Pomodoro ( you just have to spread the risen dough across a baking sheet and add toppings before baking),  Focaccia, and many others.

If you want a bread in a short time, you can you use a recipe that uses more yeast, so you just need about 2 hours for fermentation. And the result is a rustic, deep-flavored bread!




Detalhes | Product detail: 

 Editora | Publisher: W. W. Norton & Company
 Data de publicação | Publication date: 2009
 Páginas | Pages: 222
 Língua | Language: Inglês | English

    Comprar aqui | Buy here: Amazon , Book Depository

You Might Also Like

12 comentários

  1. Gosto muito de pão. Ficou com um aspeto delicioso. Já me imagino a comer uma fatia deste pão maravilhoso.
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Eu que adoro pão, já fiquei super interessada neste livrinho...
    Beijinhos,
    Lia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O livro é muito bom, Lia!
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Um livro muito interessante! Logo eu que gosto tanto de fazer pão (mais um para a minha lista)!
    Obrigada pela dica...
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vale a pena este livro, se gostas de fazer pão!
      beijinhos

      Eliminar
  4. Muito interessante! Mas, ultimamente tenho andado um pouco preguiçosa para fazer pão à mão, e coloco na máquina. Obrigada pela partilha, bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Susana
      Utilizando este método não te custa mais do que a máquina de fazer pão! Experimenta!
      beijinhos

      Eliminar
  5. Que interessante...

    viagemdoceviagem.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Olá Helena Pereira (como eu em solteira)
    Partilhamos o nome e a apixão pelo pão feito em casa! Não conheço esse livro mas vai para a minha lista (imensa) dos livros que "quero" comprar!
    O teu pão tem um aspeto maravilhoso.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Lenita!
      Curioso termos o mesmo nome...:).
      Realmente fazer pão é uma paixão e este livro tem ajudado muito, pois evita a tarefa complicada de amassar. Tem receitas muito boas.
      Um beijinho e bom fim de semana

      Eliminar

Google+ Followers

Following on Google

ABOUT AUTHOR

Subscribe